Blog

Conheça algumas tendências e necessidades que devem estar no radar dos gestores de postos para fazer seu negócio mais lucrativo e mais automatizado.

Evolução dos postos: no que o gestor deve focar?

Um recente levantamento do Sindicom (Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes) mostrou que há cerca de 40 mil postos de combustíveis no país e mais de 7 mil lojas de conveniência. Este é um número bastante representativo e que só tende a aumentar. Em especial no que se diz respeito às lojas de conveniência, que entre 2007 e 2015 tiveram um crescimento de 38% (e que devem continuar aumentando, já que apenas 20% dos postos possuem lojas de conveniência).

 
Com números tão significativos no setor, é preciso conseguir se diferenciar perante a concorrência e buscar inovações que representem uma possibilidade de maximizar o potencial dos postos. Aproveitando o final do ano, listamos algumas tendências e necessidades que devem estar no radar dos gestores de postos de serviços que querem fazer do seu negócio mais lucrativo e mais automatizado.

Acompanhe as movimentações do setor e busque fazer de algumas delas uma realidade no seu estabelecimento.

 

1) Muito além de um posto de combustível

Os postos não são mais ambientes exclusivamente de abastecimento de veículos. A ideia agora é que ali seja um ambiente onde o consumidor possa encontrar diversos serviços, como loja de conveniência, farmácia, restaurante, lavanderia, entre outros. Conhecida como “one stop shopping”, essa tendência começou nos Estados Unidos, mas já chegou ao Brasil.

 

Um exemplo que ilustra bem esta novidade é o Habib’s, que acaba de abrir seu primeiro posto de combustível agregado a uma rede de restaurantes italianos. Bom para o usuário, que economiza tempo, e bom para o dono do posto, que consegue expandir suas margens de lucro para além da venda de combustíveis.

 

Promova treinamentos para que sua equipe conheça bem as funções a serem realizadas; estimule seus colaboradores a seguir as normas de segurança ao realizar o abastecimento; promova engajamento e realize sessões de reciclagem ou atualização. Tudo isso contribuirá com a maximização dos processos e, consequentemente, com a satisfação do cliente no ato da entrega.

 

2) Sistemas de conectividade entre carros e postos

Conectividade entre carros e postos passarão a fazer parte do nosso dia a dia mais rápido do que imaginamos. Por meio da Inteligência Artificial, é possível analisar quais manutenções ou outras demandas são necessárias nos carros e os motoristas serão automaticamente alertados. Outros avanços seriam sistemas que avisam quais as opções de alimentação e conveniência disponíveis no local, uma funcionalidade útil tanto para o usuário como para o negócio, que aumentará seu ticket médio.

 

Parece distante demais? Atenção: no Rio de Janeiro há um posto piloto com esse tipo de tecnologia implementada e a tendência é que isso se espalhe por todos os pontos. Painéis instalados no posto identificam automaticamente se o seu carro precisa de reparos, como troca de óleo, assim que ele estaciona.

 

3) Drive-thru para a loja de conveniência

Aqui praticidade do drive-thru vai além do ramo alimentício. Para aumentar a receita das lojas de conveniência de postos de combustível, uma das opções é a adoção de um sistema de drive-thru e já existe até app pra isso! Com ele, os clientes podem fazer compras enquanto estão no carro e um funcionário leva os produtos até o veículo. Mais rápido para o cliente, que não perde tempo tentando achar uma vaga, descendo do carro e aguardando em filas, e mais interessante para o gestor, que terá um fluxo maior de clientes sem ter que fazer investimentos extras para adequação em infraestrutura.

 

4) Programas de relacionamento

Assim como uma farmácia ou um supermercado, o posto de serviços também é um comércio. Veja o caso da rede de postos Ipiranga, que por meio do seu programa “KM de Vantagens” conseguiu construir valor a sua marca e, dessa forma, colocar um item a mais para o cliente pesar na hora de reabastecer o veículo. O foco deve ser, portanto, estimular a relação com os consumidores e oferecer motivos, que vão além do combustível, para que eles retornem ao seu posto.

 

Uma das estratégias mais efetivas é a de criar um programa de relacionamento, como este da Ipiranga, já que conforme ele incentiva o cliente a se relacionar com a marca, a rede de postos, por sua vez, também sai ganhando.
 Com um bom programa de fidelidade, seu posto vai aumentar a taxa de retorno dos clientes, estimular seu consumo e garantir resultados financeiros ainda mais interessantes, com aumento da frequência de compras e do ticket médio, formação de um banco de dados de clientes e retenção dos melhores.

 

5) Valorização e engajamento dos colaboradores

Uma das maiores dificuldades enfrentadas na gestão de postos de serviço é a falta de engajamento da equipe e sua baixa qualificação. E isso é muito perigoso. Se o seu colaborador não cria uma ligação afetiva com a organização, ou seja, não se identifica com os valores e objetivos da empresa, dificilmente ele empregará suas energias nas tarefas que executa.

 

Assim, é importante apresentar à sua equipe quais objetivos deseja alcançar e o que espera de cada um deles, escutar suas demandas e necessidades e oferecer treinamentos e cursos que permitam evolução profissional por meio de capacitação.

 

Depois de conhecer as principais tendências, que tal implementá-las para se destacar ainda mais no mercado? Conte com a Intercamp para isso!

 

Fonte: Brasil Postos

Nenhum comentário

26

Faça um comentário