Blog

seu negócio pode decolar

Com indicadores e uma boa estratégia de Marketing seu negócio pode decolar, mesmo na crise!

A crise econômica tem afetado todos os setores, inclusive o de serviços. Além do alto custo do combustível e dificuldade de repasse para clientes, os donos de postos de serviços, têm assistido à queda das vendas das lojas de conveniência. Mas muito se engana quem acha que não é possível reverter este cenário. Na verdade, esta pode ser a oportunidade de investir no negócio – esqueça a ideia de que se deve postergar o investimento para quando a economia estiver mais estável, muito pelo contrário, se o valor a ser injetado for baseado em indicadores o seu negócio pode prosperar, inclusive no momento instável como o que estamos vivendo. E para mostrar a veracidade disto, nosso post de hoje traz um case de sucesso que pôde ser materializado com o auxílio de uma empresa de consultoria especializada nesse tipo de negócio. Quem conta essa história é Vitor Peixoto, da Multipliko.

 

Problema

Há dois anos, um cliente fez um investimento grande em um posto de serviço com uma loja de conveniência que também funcionava como restaurante. Mas o estabelecimento não decolava, pois, o custo operacional da loja era muito alto e as vendas atingiam R$ 145.000,00 mensais, o que era insuficiente. E mesmo com ações de Marketing, como propagandas em rádio e banners espalhados próximos ao local, os números não cresciam. Em suma, a loja não se pagava, gerando prejuízos consecutivos. Embora tenha sido inaugurada no primeiro semestre de 2015, já quando a crise começava a dar sinais mais consistentes, na percepção da diretoria, a loja tinha potencial para vender muito mais quando o país saísse do momento conturbado que o país enfrentava.

 

Solução

Para reverter este quadro, a Multipliko fez uma análise da empresa a partir de um relatório chamado Curva ABC de vendas, que detalha as vendas separando os produtos em 3 categorias: A = 70% da venda, B = 20% da venda e C = 10% da venda. A conclusão que a empresa chegou foi de que alguns produtos eram mal explorados e poderiam vender muito mais. O que também chamou a atenção da consultoria foi o comportamento do cliente, que via a loja muito mais como um restaurante do que conveniência, pois o local contava com uma área de refeições grande, com capacidade para mais de 50 pessoas e oferecia almoços que eram bem aceitos pela clientela.

 

Sendo assim, em primeiro lugar a consultoria mostrou para a diretoria do posto que a abordagem da loja com foco em conveniência estava errada. Depois, demonstrou pelos relatórios que o mais adequado era investir em uma publicidade direcionada para o almoço, substituindo outdoors e demais peças de comunicação com fotos do posto e da loja por propagandas de pratos com as refeições que eram servidas no restaurante. Além disso, a consultoria também sugeriu que a diretoria do posto subisse o investimento em marketing de 1% para 4% do faturamento.

 

Resultado

Com esse plano de ação, no mês seguinte a loja apresentou um crescimento de 50%. No segundo mês, atingiu 80% de crescimento e há mais de um ano mantém o faturamento mensal superior a R$ 240.000,00.

 

Através dos relatórios de venda e do registro das compras, ficou evidente também que os itens com melhor venda a partir das mudanças foram aqueles promovidos nas ações de marketing. Além das refeições, as vendas de suco de laranja, sobremesas e outros produtos aumentaram devido à maior circulação na loja durante o horário do almoço.

 

Com quem contar

Uma empresa especializada em consultoria e auditoria é essencial para que o investimento se converta em benefícios. Além dela, um software de gestão é uma ótima opção para controlar as operações de postos de serviço e lojas de conveniência. Com ele é possível ter mais velocidade na tomada de decisões, gerenciar a rentabilidade do negócio e potencializar ganhos e minimizar as perdas. Entre em contato e conheça o software de gestão da Intercamp, o Postofácil.

 

Nenhum comentário

20

Faça um comentário